fbpx

Mais uma edição de luxo!

A segunda edição do Samba Com Vida, organizada pela Escola de Samba Trepa Coqueiro, decorrerá de 29 a 31 de Março de 2019, em Estarreja, e contará com mais nomes sonantes do Carnaval do Rio de Janeiro, que serão responsáveis por passar os seus conhecimentos em Workshops e Palestras:

Patrick Carvalho – Coreógrafo Comissão de Frente @ Vila Isabel
Patrick Carvalho iniciou a sua carreira como coreógrafo de Comissão de Frente na Alegria da Zona Sul.
O Dançarino, Coreógrafo e Instrutor foi Coreógrafo das Comissões de Frente da União da Ilha do Governador, Inocentes de Belford Roxo, Porto da Pedra e Unidos de Vila Isabel e Paraíso da Tuiuti
Além dos trabalhos expressivos no Carnaval, Patrick Carvalho é integrante do quadro “Dança dos Famosos”, do programa Domingão do Faustão, da TV Globo, e é gestor da Cia Dom de Dança, do Morro do Cantagalo, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Squel Jorgea – Porta-Bandeira @ Estação Primeira de Mangueira
Squel Jorgea é neta de Xangô da Mangueira, mas a sua primeira escola de samba foi a Grande Rio. Foi passista mirim e porta-bandeira mirim, mais tarde segunda porta-bandeira e em 2002, pela primeira vez, desfilou como primeira porta-bandeira. Permaneceu no posto até o carnaval de 2012.
Desfilou pela Mocidade Independente em 2013, mas no mesmo ano deixou a escola e foi contratada pela Mangueira para substituir Marcella Alves, formando par com o mestre-sala Raphael Rodrigues e posteriormente com Matheus Olivério, seu tio.
Squel foi Tamborim de Ouro em 2006, Estandarte de Ouro em 2015 e novamente este ano, em 2019.

Matheus Olivério – Mestre-Sala @ Estação Primeira de Mangueira
O amor pela Estação Primeira de Mangueira vem de berço. Com sangue verde e rosa, Matheus Olivério nasceu e cresceu na escola. Iniciou sua história na Mangueira em 1995 na Mangueira do Amanhã, e em 1998 estreou-se na Ala das Crianças de Tia Neuma, na mesma escola. Em 2006 estreou-se como Mestre-Sala na Mangueira.
Em 2016 desfilou como segundo-mestre sala da Mangueira e primeiro na União do Parque Curicica. No ano seguinte, substituiu Raphael Rodrigues como primeiro Mestre-Sala da Mangueira fazendo par com Squel, sua sobrinha.

Raissa de Oliveira – Raínha de Bateria da Beija Flor de Nilópolis
Raíssa de Oliveira notabilizou-se no Carnaval carioca ao ser escolhida como rainha de bateria da Escola de Samba GRES Beija-Flor aos 12 anos de idade (em 2003) após ganhar um concurso de TV no qual concorriam passistas mirins de diversas escolas. Ocupa o posto todos os anos desde então.
Raissa de Oliveira nasceu e cresceu no meio do samba e tornou-se a mais jovem Rainha de Bateria de Escolas de Samba do Rio de Janeiro, à frente da Bateria da Beija Flor de Nilópolis.
Ao contrário da maioria das rainhas de bateria do grupo especial carioca na década de 2000, Raíssa é uma rainha de bateria escolhida na própria comunidade, e mantém-se fixa num posto considerado rotativo. Antes de desfilar como rainha de bateria, era integrante da ala das crianças.

Mestre Odilon – O Mestre dos Mestres
Odilon Costa mais conhecido como Mestre Odilon é um conhecido e importante Diretor de Bateria do carnaval carioca, e é considerado por muitos o Mestre dos Mestres.
Mestre Odilon dirigiu a bateria da União da Ilha (1991 – 1993), do Salgueiro, da Beija-Flor (1993 – 1996), da Grande Rio, onde conquistou o Estandarte de Ouro duas vezes, em 1999 e 2005, e da Mocidade. Regressou posteriormente à União da Ilha do Governador.
Em 2014 foi nomeado padrinho da Império Rubro-Negro, uma nova Escola de Samba.